top of page

Atleta que não cuida da visão pode ter maus resultados em competições, alerta Conselho Brasileiro de Oftalmologia



As doenças oftalmológicas sem tratamento adequado, podem impactar de forma significativa na performance dos atletas profissionais ou amadores. Porém, casos diagnósticos e com cuidados bem encaminhados podem resultar em melhora significativa no desempenho de um atleta em quadra ou numa pista de competição. Em 2024, ano em que serão realizados os Jogos Olímpicos de Paris, esse alerta é um dos objetivos centrais da campanha "Visão no Esporte", promovida pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO).


O ponto alto da atividade, que marca o calendário da entidade em março, será no próximo dia 16 (sábado), a partir de 10h, com a exibição de uma maratona educativa e informativa pelo canal da entidade no YouTube. A programação contará com a participação de oftalmologistas com ampla experiência no atendimento de atletas e representantes de órgãos públicos, entidades médicas e membros de confederações esportivas de diversas modalidades.


O CBO transmitirá as palestras pelo seu canal oficial no YouTube, participe!


Conforme frisa o vice-presidente do CBO, Newton Andrade Júnior, os principais problemas de saúde ocular que afetam atletas amadores e profissionais são as doenças refrativas. “Miopia, hipermetropia e astigmatismo: é muito comum a pessoa praticar esporte sem corrigir esses distúrbios. Principalmente em esportes coletivos, como futebol, vôlei e handebol. Há um receio de usar óculos e acabar se machucando”, explica o vice-presidente do CBO. No entanto, diante do risco de acidentes e da possibilidade de comprometimento de performance, o especialista afirma que a pior decisão é adiar a ida ao consultório oftalmológico.


DIFICULDADES - “A visão é essencial para a maioria das atividades físicas. Ela influencia na percepção de espaço, precisão, destreza e em várias outras habilidades. Cada atleta, amador ou profissional, deve avaliar individualmente sua saúde ocular junto a um oftalmologista para proceder com o tratamento mais adequado”, diz Newton Júnior.

Especificamente em esportes de alto rendimento, qualquer detalhe faz diferença na busca por resultados de excelência, lembra o vice-presidente. Essa opinião é compartilhada pelo vice-presidente da Área da Saúde da Liga Nacional de Basquete, Diego Nery Benevides Gadelha, que considera essencial incluir o exame oftalmológico no check-up médico durante a pré-temporada de todos os atletas.


“No basquete, por exemplo, há a dinâmica da previsão do arremesso. Numa cesta de três pontos, existe a necessidade de ser muito preciso. Nesse sentido, a mira - e consequentemente a visão - precisam ser exatas para o arremesso ser perfeito e consistente. Se você pensar em tiro ao alvo, esgrima, pingue-pongue, enfim, esportes que precisam muito dessa precisão no olhar, vai perceber que o exame de rotina é fundamental”, pontua.


INDICAÇÕES TÉCNICAS - Durante a consulta, o atleta amador ou profissional deve reportar ao oftalmologista a modalidade de esporte que realiza para que o especialista possa adaptar o tratamento a essa prática. ““Se é um esporte de mais contato, como boxe ou MMA, o praticante vai estar mais exposto a pancadas. Assim, uma opção é a correção da visão por meio de cirurgia refrativa, ao invés do uso de lentes de contato e óculos. Se estamos diante de um atleta de surf ou da natação, ele até pode usar lente de contato, porém, há um risco maior de infecção por causa de uma contaminação da água. Nesses casos, o ideal é usar aquelas de descarte diário”, discorre Diego Gadelha.


DESEMPENHO - Na avaliação do especialista, é nítida a melhora no rendimento dos atletas que realizam avaliação médica e iniciam a correção de um possível problema de vista. “Os olhos são instrumentos de suma importância. No basquete, já verifiquei até mudanças na mecânica do arremesso de alguns atletas. Ela fica mais fluida, mais leve”, descreve.

A descrição feita por Gadelha dialoga com a forma como o CBO compreende essa situação. Conforme explica o vice-presidente Newton Andrade, a partir dos olhos, o corpo humano captura grande parte das informações que são processadas pelo cérebro. Por isso, a visão é considerada relevante para garantir pleno desempenho em inúmeras atividades, contribuindo para a autonomia e qualidade de vida.


“Como diz a frase atribuída a Leonardo da Vinci: os olhos são as janelas da alma e o espelho do mundo. Por isso, todos nós devemos fazer exames oftalmológicos anualmente. Diagnosticar e tratar precocemente doenças oculares melhora não só o rendimento dos atletas, mas das atividades que fazem parte da rotina de qualquer pessoa”, destaca o vice-presidente do CBO.

Kommentare


bottom of page